Mobilidade para 2040: a estratégia urbana em ação no Reino Unido

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on tumblr
Share on reddit
Share on telegram
Share on whatsapp
Mobilidade para 2040: a estratégia urbana em ação no Reino Unido
Fonte: OneWorldMap

O governo britânico tem publicado em seu site oficial https://www.gov.uk estudos sobre a mobilidade urbana e o seu planejamento para chegar em alta performance em 2040.

As pesquisas levam em consideração as necessidades presentes e futuras dos usuários e os avanços tecnológicos que estão em andamento, deixando espaço para o que ainda virá.

A política do governo em relação a essa questão visa responder aos anseios da população, motivar pesquisas e investimentos em tecnologia que tragam mais eficiência com responsabilidade ambiental e que proporcione novos modelos de negócios.

Conheça um pouco como esse Estado de primeiro mundo enxerga e planeja o futuro da mobilidade.

Mobilidade coletiva

O Reino Unido é um Estado soberano composto por 4 países: Inglaterra, Irlanda do Norte, Escócia e País de Gales.

A capital do Reino Unido – e da Inglaterra – é Londres, que ao contrário de Brasília, também é o centro financeiro mais importante.

Fundada pelo romanos no ano 50 d.c. foi batizada como Londinium que significa longínquo em latim.

Em razão de muitas disputas de poder e incêndios ela foi reconstruída muitas vezes e é um símbolo de tradição e avanço tecnológico ao mesmo tempo.

Se compararmos as cidades de Londres (1.572 km2 e 8,9 milhões de moradores) e São Paulo (1.521 km2 e pouco mais de 12 milhões de habitantes) temos a noção do quanto ainda há que percorrermos no caminho da mobilidade e inclusão. Confira:

Londres tem:

  • Underground -11 linhas de metrô que somam 270 estações;
  • Overground – 9 linhas de trem que somam 112 estações;
  • Tramlink – 39 estações que circulam apenas no sul de Londres;
  • Waterbus –  1 linha com 3 terminais;
  • Ônibus – 8000 unidades que fazem 700 rotas diferentes…

São Paulo tem:

  • Metro: 6 linhas que somam 89 estações;
  • Trem: 7 linhas que somam 94 estações;
  • Barco: nao tem
  • Ônibus: estima-se cerca de 280 mil (infelizmente não conseguimos checar alguns dados, mas se você os tiver, escreva nos comentários, por favor)

Planos para o futuro:

Não  bastasse tudo o que tem sido feito no decorrer de toda a sua história, Londres e todo o Reino Unido olham adiante e se preparam para continuar sendo um lugar que encanta.

Esses são alguns dos planos para o futuro:

Carros elétricos 

Em 2015, haviam registrados 28.188 carros elétricos “plug in”, sendo 9.934 somente elétricos e 18.254 híbridos ou  plug-in hybrid electric vehicle, também conhecidos pela sigla PHEV (com motor que funciona tanto a combustão como por impulso elétrico). (Wikipedia)

Em 2019 estima-se que eram ao menos 37.850 e calcula-se que a troca de todos os veículos movidos a combustão por eletricidade, no Reino Unido, acontecerá até 2040.

Mas, a preocupação em monitorar e diminuir o impacto no meio ambiente tem pelo menos uma década.

Transporte limpo: em 2010 o número de todos os carros licenciados com emissões ultra baixas no Reino Unido era de 1.568 unidades. No terceiro trimestre de 2019 esse número saltou para 228.286. (Fonte: https://www.statista.com)

Mobilidade: carros elétricos
Foto: site www.whatcar.com

Carros autônomos

Segundo o site do governo britânico, diferentes companhias estão trabalhando no desenvolvimento de carros autônomos – que não precisam de motorista.

O governo está apoiando um projeto de ônibus sem motorista em Edimburgo e dois projetos de táxis autônomos em Londres – transporte mais barato vem chegando!

Celulares e internet: tecnologias aliadas ao governo

A estratégia governamental considera os celulares e a internet importantes aliados para que se possa proporcionar aos contribuintes e usuários uma melhor experiência no exercício da mobilidade urbana.

Com eles é possível planejar e agendar as jornadas com mais segurança e assertividade.

Os veículos podem utilizar a internet para “conversarem” e evitarem acidentes de trânsito sem a interferência humana.

Mobilidade: carros que conversam
Fonte: https://auto.howstuffworks.com

Drones e bikes: Outras formas de transportar

As bicicletas, os patinetes e scooters são uma realidade e desde cedo as crianças são estimuladas a utilizá-los.

Quem anda por Londres percebe todos os dias, criancinhas de três ou quatro anos indo para a escola de patinetes.

Profissionais liberais e freelancers que necessitam se locomover para atender clientes costumam usar bicicletas e scooters elétricos.

As ruas são feitas para serem desfrutadas por cadeirantes e eles fazem parte do tráfego de pessoas que vão as compras, pubs, bibliotecas, e seus locais de trabalho com a mesma desenvoltura de qualquer outra pessoa da comunidade.

Os drones, porém, são uma preocupação a mais para os administradores públicos. Atualmente são utilizados apenas para transportes de emergência ou para tarefas pontuais, como checar a segurança de alguns bairros, mas as prefeituras estão trabalhando em leis e normas que regulamentem o uso desses aparatos, pois há a preocupação de que esses dispositivos venham a criar um intenso tráfego nos céus das cidades.

Empresas como a Amazon e a Cargo Drones estão investindo milhares (ou bilhões) de dólares enquanto esperam essa liberação!

Mobilidade: aprende-se desde cedo
Photo by Kelly Sikkema on Unsplash


Mobilidade estratégica para continuar caminhando e compartilhando meios de transporte

A coletividade, a inclusão social efetiva e o cuidado com o meio ambiente são assuntos muito presentes nas pautas públicas que rondam a coroa da rainha e o desktop setup do primeiro ministro.

A maior preocupação é em como aumentar a segurança e o espaço público de convivência – em lugar de se preocupar com a coleta dos impostos e receitas oriundas de estacionamentos e multas. Baratear serviços e colaborar com a qualidade de vida e longevidade dos cidadãos fazem da mobilidade urbana um tema planejado para o futuro e executado no presente.

Pensar nos riscos de cada inovação ou na falta dela, e respeitar o ritmo e opções pessoais de cada indivíduo, tendo a sensibilidade de não ferir as expectativas das pessoas que são avessas aos aparatos tecnológicos, como a internet e o celular, é o diferencial dessa nação.

O Reino Unido é um lugar onde as tradições são preservadas e, mesmo assim, as novidades encontram seu lugar.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *