Wanderlust: viajar é preciso

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on tumblr
Share on reddit
Share on telegram
Share on whatsapp
Wanderlust: viajar é preciso
Photo by Jordan Opel on Unsplash

Wanderlust é uma palavra derivada do alemão, composta por outras duas: wander (caminhar, trilhar) e lust (desejo).

É daquelas palavras difíceis de traduzir o real significado, como é “saudade” do português, wanderlust vai além do desejo de trilhar, é aquela vontade de viajar, de descobrir novas culturas, lugares, pensamentos no mundo.

Na Europa, os alemães são conhecidos por terem prazer em fazer jornadas de conhecimento e aventurarem-se.

Também é deles outro termo relacionado a esse e que já citamos anteriormente no texto Co-living e nomadismo digital – junto e misturado¨:   Fernweh .

Fernweh significa aquela inquietação que nos coloca em movimento, em busca de novas descobertas através das viagens. Esses dois termos são muito usados para definir o forte desejo de viajar, aquela sensação de voltar de viagem e já começar a pensar na próxima, de querer colocar alfinetes e “visitado” no mapa mundi inteiro e se bobear até mais de um, afinal os lugares podem ser diferentes a cada estação certo?

Wanderlust e Fernweh: quanto mais alfinetes no mapa, melhor!
Photo by Element5 Digital on Unsplash


Luxúria do Sol

Esse conceito começou a aparecer na Alemanha pós iluminista. Os solteiros ricos eram encorajados a viajar para desfrutar do calor em terras onde o sol era mais presente, como França e Itália, tanto para o descanso quanto para explorar culturas e experiências diferentes e agregar novas informações.

Na era pós moderna viajar era um instrumento de empoderamento e para o sociólogo Robert E. Park, no início do século XX, representava uma oposição aos valores e status com os quais as organizações seduziam os talentos da época e os prendiam a uma vida de rotina tradicional.

Wanderlust era um ato de rebeldia questionadora do status quo.

Wanderlust: começou com a busca pelo sol.
Photo by Stephen Leonardi on Unsplash

Autoconhecimento no desconhecido

O desejo por viajar deve ser suficientemente grande para desafiar-se a si mesmo a se conhecer enquanto ajusta o seu comportamento a:

  • diferentes culturas, 
  • rotinas alteradas, 
  • fusos horários, 
  • alimentos exóticos, 
  • idiomas desconhecidos, 
  • câmbios de moedas,
  • climas diferentes e
  • solidão (sim! algumas vezes ela bate…)
people in brown wooden boat
Wanderlust: desafiando o status quo
Photo by Pietro De Grandi on Unsplash

Mas, como saber se nosso desejo é assim tão forte para superar todas as dificuldades?

Experimente uma vez, se na volta já deu  vontade de fazer de novo, bem vindo ao barco dos aventureiros!

Dicas de um wanderluster

Se o seu destino é trabalhar enquanto se diverte e misturar pequenas férias com trabalho, você não pode perder as dicas em nosso post Nomadismo digital e viagens de negócio:  3 dicas espertas do Otto.

Esse viajante e amante da rotina zero grau encontrou sua razão para viver saindo da zona de conforto e se jogando no  bleisure… aproveite as dicas de como começar!

E você é um wanderluster também? Conte-nos suas aventuras nos comentários!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *