SMART CITIES: TÃO REVOLUCIONÁRIAS QUANTO A INVENÇÃO DOS CELULARES

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on tumblr
Share on reddit
Share on telegram
Share on whatsapp
Smart Cities: tão revolucionárias quanto os celulares

As Smart Cities – ou cidades inteligentes – são como os celulares. Quem era adulto na década de 90 desejava ter até sem saber que existia.

Depois de ler aqui sobre todas as transformações que essas cidades fazem na vida dos cidadãos, você também vai querer ser um Cidadão de cidade inteligente.
Mesmo se nunca foi a nenhuma.

Para os millennials, pode ser difícil explicar como era a vida antes da chegada dos celulares. Hoje são dispositivos populares e básicos, e praticamente uma extensão do nosso corpo. Mas houve um tempo que não passava de ficção.

Para saber o impacto que novas tecnologias podem fazer na vida de todos, basta pisarmos em uma smart city.

O QUE SÃO SMART CITIES?

Esse termo surgiu para definir a nova missão das cidades:

  • tecnologia para servir as pessoas
  • rede de informação para garantir a segurança, proteção, economia, integração e inclusão
  • projetadas para otimizar recursos, tornando-as viáveis e sustentáveis

As smart cities são concebidas para serem cidades vivas e mais habitáveis.

Smart cities – sustentabilidade e integração

10 benefícios das Smart Cities

As cidades inteligentes partem do princípio que as ruas precisam ser conectadas, e elas são a base e o núcleo de toda a rede de informação que proporciona os benefícios que vamos falar agora.

  1. Postes de iluminação que captam e enviam informações em tempo real de tudo o que acontece nas proximidades (melhorando a segurança e fluxo de tráfego).
  2. A iluminação das ruas acontece com sensor de movimento, o que gera uma economia nas contas públicas de eletricidade.
  3. Localização de vagas para estacionamento em tempo real e pontos de recarga de bateria para carros elétricos.
  4. Sinalizações específicas para pessoas com necessidades especiais, orientando os motoristas para evitar acidentes.
  5. Comunicação em tempo real com as empresas coletoras de lixo, quando as lixeiras estão cheias.
  6. Sensores meteorológicos, fluviais e pluviais para medir os riscos de alagamentos e enchentes, além de gerenciarem sistemas de irrigação das áreas verdes.
  7. Sensores que acusam a poluição do ar e a poluição sonora, e seus ofensores.
  8. Medições do nível de gasto de água e eletricidade, que acontecem tempo real e geram economia com a eliminação da medição manual.
  9. Alerta para acidentes imediatamente para as autoridades, e em tempo real para motoristas e sinais de trânsito, propondo aos condutores sugestões de novas rotas e informando às autoridades a gravidade e qual a necessidade de deslocamento de viaturas e ambulâncias, se for o caso.
  10. Semáforos que se ajustam conforme o fluxo de tráfego de carros, motos, caminhões e pedestres.

Muitas dessas ferramentas já estão sendo implantadas, mesmo em cidades que não forma projetadas para isso.

Outoo – um app smart

E o empreendedorismo vem ajudando a criar as estruturas e serviços que vão potencializar ainda mais os benefícios oferecidos pelas smart cities.

Um exemplo disso é o aplicativo Outoo, que localiza locais com instraestrutura para trabalhar e estudar, como outoffices e Coworkings em qualquer lugar.

Princípios das cidades inteligentes

As cidades inteligentes tem como princípio atenderem a três fundamentos:

Ambiente – amigável – sustentável – viável

Economia -viável -sustentável – justa

Sociedade – amigável – sustentável – justa

Agora queremos saber a sua opinião: você acha que precisa conhecer para desejar? Responda nos comentários.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *