Nomadismo digital e viagens de negócio: 3 dicas espertas do Otto

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on tumblr
Share on reddit
Share on telegram
Share on whatsapp


Foto: Alicia Steels on Unplash

Otto, nosso personagem, sempre conta sobre sua primeira viagem de negócios quando alguém que lhe pede dicas de como se preparar para ela.

Hoje ele é um viajante experiente. Nômade digital por definição.

Mas, na sua primeira experiência, ele ficou tão ansioso que não conseguiu dormir à noite anterior ao check-in no aeroporto.

O resultado foi um desastre: chegou ao destino com os olhos vermelhos e completamente descoordenado, falando lentamente e demorando para responder. Parecia que estava sob efeito de calmantes, ou coisa pior.

À noite, no jantar com os parceiros daquele dia, simplesmente cochilou quando a conversa ficou monótona.

Mas das primeiras experiências ele tirou algumas lições importantes e hoje ele vai dividir com você 3 delas.

1ª Dica: A mala básica do Mark Zuckerberg

Se você está começando uma rotina de viagens ou nomadismo digital, a dica do Otto é considerar ter sempre uma mala pronta com o básico e as roupas de cada estação do ano estrategicamente separadas para não perder tempo.

Afinal, em algum lugar do mundo está um sol de rachar, 
enquanto em outro neva...

A maioria das pessoas fazem a mala na última hora e nem sabem direito o que estão levando. Só lembram de colocar as melhores roupas para causar boa impressão.

E nem era a roupa mais confortável ou prática.

Quando chegam ao destino é que percebem que as blusas não combinam com as calças, e os sapatos arrematam uma visão do “inferno” no espelho.

E passam dias que deveriam ser totalmente focados no resultado e na aprendizagem, em se esforçar para não se deprimir ou gastar em moeda estrangeira fortunas por roupas que você já tem em casa.

Pessoas de sucesso costumam eliminar etapas de fazer escolhas com coisas que não são produtivas.

Já percebeu que Mark Zuckerberg, assim como Bill Gates e outros vencedores estão sempre com roupas de uma cor só e geralmente escuras? E sempre iguais?

Não importa o seu estilo. Não caia na armadilha de ter que se preocupar em combinar roupas quando você tem tantas outras coisas importantes a fazer.

Simplificar o guarda-roupa é facilitar a própria vida: camisetas vão por baixo de blazers e casacos básicos e sapatênis garantem o conforto e elegância durante tudo o dia.

A calça (ou saia) social ou esporte fino dão o tom do look.

2ª Dica: abra uma conta bancária na Estônia

Um dos grandes problemas de quem viaja é a burocracia para receber, pagar e se movimentar, tendo que fazer câmbio sempre que sai de um país (ou bloco, como é o caso da Zona do Euro) e vai para outro. Isso sempre gera perda de tempo e gastos com taxas de conversão, sem falar na insegurança de andar com dinheiro em papel.

A Estônia é um país pujante e arrojado que poucos, no Brasil,  conhecem. Mas é uma potência, com uma economia estável e crescente.

A taxa de desemprego lá está em torno de 4.2% e o crescimento do PIB foi 4,9% em 2017.

E eles apostam muito na globalização tecnológica, possibilitando que qualquer pessoa possa ter e movimentar uma conta versátil.

Para ter uma conta em um banco virtual na Estônia é necessário apenas ter um passaporte válido e um endereço de referência na União Europeia, de algum parente ou amigo.

A conta bancária virtual tem a vantagem de acompanhar você onde quer que vá, e os valores estão sempre baseados em Euro.

Essa é uma comodidade e segurança que um nômade digital ou viajante costumeiro não podem deixar de avaliar.

As taxas para as contas mais simples são apenas em operações de saque ou transferência internacional, e bem abaixo dos valores praticados no Brasil.

Para saber mais sobre esse assunto, acesse: https://www.planet-nomad.com/pt/banco-online-para-nomades-digitais/

3ª Dica: Diga Olá e Obrigada

A terceira dica é bem elementar, e todo nômade digital e viajante a negócios sabe, mas não custa nada lembrar: aprenda o básico do idioma.

Foto: Helena Lopes on Unplash

Falar “olá, bom dia, boa tarde, boa noite, com licença, por favor,  me desculpe e obrigada, e prazer em lhe conhecer” é o mínimo que se pode fazer para criar uma boa impressão, mesmo quando você está em Berlim ou Índia e todo mundo fala inglês.

As pessoas têm orgulho do seu país e querem perceber nos “forasteiros” que eles, pelo menos, se esforçaram em saber alguma coisa de seu idioma e sua história.

Isso serve de “quebra-gelo” em um início de reunião e deixa uma boa impressão na despedida.

Seguindo essas dicas você vai fazer viagens mais tranquilas.

Ainda segundo o Otto, na véspera da viagem, é melhor não abusar de bebidas alcoólicas nem comidas pesadas. Procure relaxar a mente e exercitar o corpo um pouco.

E na hora de dormir, se não tiver sono, pegue o livro mais chato que você já leu. Logo estará nos braços de Morfeu.

Boa viagem!

Conte prá gente como foi a sua aventura na primeira viagem de negócios!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *