Série: Como reinventar as Organizações

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on tumblr
Share on reddit
Share on telegram
Share on whatsapp

Segundo o livro de Frederic Laloux

(as lições que mais amamos desse livro incrível)

Parte I – As questões básicas de uma Holocracia

Frederic Laloux é um consultor de empresas, que trabalhou por mais de 15 anos na renomada Mckinsey.

No seu livro Reinventando Organizações, ele parte da premissa de que:


Cada vez que a humanidade chega a um novo estado de consciência, cria novas formas de colaboração, inovando em seus modelos de organização.

O livro é rico em conceitos, que vamos destrinchar pouco a pouco nessa série, de 3 artigos.

Laloux considera que estamos chegando a uma nova etapa da evolução na gestão da sobrevivência humana e as novas organizações estão se voltando para:

Holocracia: Autogestão, Integridade e Propósito

Basicamente, para Laloux, a Holocracia (forma de gestão em que a liderança é assumida por pequenos grupos, e cada um é líder de si mesmo) se define a partir de três características:

  • autogestão,
  • integridade,
  • profundo sentimento de propósito.

O fato é que podemos constatar que isso não está acontecendo só no comportamento que visualizamos nas próprias organizações, mas nas pessoas que as compõem.

Talvez por isso há uma crescente demanda e oferta de profissionais freelancer, home office e coworking.

Autogestão

O que se pode perceber é que os novos modelos de trabalho (freelancer, home office), proporcionam o desmonte de alguns vícios (ou patologias) das organizações tradicionais:

  • diminuem a possibilidade de politização das relações, uma vez que as tarefas são divididas e específicas de cada colaborador, que não terá mais a coletividade para usar de escudo nos seus deslizes;
  • minora a necessidade de burocratização, pois a tecnologia e as novas políticas de preservação do meio ambiente exigem  – e facilitam – essa nova postura;
  • e desestimula os conflitos internos, na proporção que evitam o excesso de stress, e liberta os colaboradores para criar as suas rotinas, evitando sobrecarga de trabalho, ressentimentos, apatias e dependência de um superior para fazer a sua tarefa.

Estaríamos caminhando para a holocracia total, com organizações sem líderes, totalmente horizontais? O quê você pensa sobre isso? Deixe sua opinião nos comentários.

Integridade

A cultura da Integridade é uma resposta à necessidade de se livrar de profissionais que sofram de ANALFABETISMO EMOCIONAL.

Desde que passamos a viver em sociedade, construímos nossas organizações baseadas na impessoalidade e insensibilidade.

Hoje, estamos nos encaminhando para a contramão dessa cultura, que escravizou e mutilou emocionalmente muitas gerações.

E quem mais sofreu, é a geração que está fazendo essa grande transformação: nós, os Millennials!

Sim, nós somos os grandes responsáveis por essa virada épica, pois fomos criados em ambientes em que, para poder prosperar, os adultos precisavam abrir mão da convivência familiar, renegando a sua importância. E para nos compensar (e a si próprios) provocaram o aumento da escala consumista e hedonista.  

Profundo sentimento de propósito

Vamos ser honestos: o profundo sentimento de propósito não foi só uma construção de uma nova consciência de dentro (das organizações) para fora.

Ele tem sido instigado pela nova relação de consumo que a Internet proporcionou a todos:

  • hoje os clientes criam comunidades,
  • expõem suas opiniões,
  • compartilham experiências vivenciadas com as empresas,
  • e se movem pelo sentimento de pertencimento, que faz parte da decisão de compra.

Se o que vai contar daqui em diante é o fator de Inteligência Emocional e o combate ao analfabetismo comportamental, não faria sentido manter as empresas apenas focadas no lucro pelo lucro, não é verdade?

Reinventando as organizações e descobrindo novos horizontes

O livro Reinventando as Organizações de Laloux é uma lanterna iluminando uma tendência que surgiu como o veio de água numa mata escura e fechada e está se transformando numa correnteza.

No próximo artigo da Série, vamos falar sobre As etapas do desenvolvimento humano, segundo Laloux.

E você não pode perder! Curta esse texto para que o Google selecione nossos novos artigos para você!

Tem algo a dizer sobre isso? Deixe nos comentários.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *