ROTINA ZERO GRAU¹

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on tumblr
Share on reddit
Share on telegram
Share on whatsapp
Quando voltar para a casa não é voltar para a mesmice

QUANDO VOLTAR PARA CASA NÃO É VOLTAR PARA A MESMICE

 

Otto acabou de desembarcar no aeroporto internacional de Guarulhos e mal pegou sua mala, o celular tocou.

 

Era Sr. Heckert que por acaso também estava lá, porém aguardando o seu embarque de volta para a Suíça.

Otto o havia deixado em Recife para que terminasse as especificações técnicas do negócio fechado com um cliente, antes de partir para o congresso em San Francisco (EUA) sobre tecnologia.

 

Ele queria discutir a expansão dos seus negócios no Brasil e planejar os próximos passos.

Otto respirou fundo, abriu seu app Outoo e procurou por um outoffice ali mesmo, ia adiar a volta para casa.

Marcaram no Starbucks do terminal 3.

 

Ele estava amando essa praticidade toda!

Imagina se perdesse a oportunidade de estreitar laços com esse importante parceiro? Justo por falta do ambiente ideal?

ADIANDO UM ENCONTRO ESPECIAL

 

Mandou uma mensagem para a namorada e avisou que chegara bem, estava em reunião e que ligaria quando pudesse.

Ela respondeu: – Quem mal desce do avião e já está fazendo reunião? Só você mesmo, Mr. Outoo, rs.

 

Marina já estava acostumada. Otto conseguia levantar negócios até na sala de espera do dentista.

E ele sempre dava um jeito de criar uma mesa de negociações onde quer que estivesse.

Depois que conheceu o  Outoo não tinha mais como fugir das brechas que o acaso lhe abria aqui e ali.

Qualquer oportunidade e lá estava ele já acessando para buscar um espaço literalmente fora do comum para trabalhar.

Por essa razão, ela passou a chamá-lo assim.

Seu laptop sempre estava no alcance de suas mãos.

Ele vivia postergando os encontros, mas sabia que mesmo assim ela era especial aos olhos dele.

coelho na cartola
Parece que você sempre tem um coelho na cartola, não é mesmo, Otto?

OUTOO – O APP DOS DESCOLADOS

 

-Parece que você sempre tem um coelho na cartola, não é mesmo, Otto? Disse o parceiro contente.

 

Sr. Heckert ficava encantado com essa versatilidade. Vivia dizendo a todos como ele era descolado.

 

Ele sorria sem dizer nada, se não fosse as facilidades do aplicativo, estaria enrascado como tantas vezes aconteceu.

 

Trabalhar com o computador nos joelhos, sentado no meio do terminal – com aquela gente toda batendo com as malas na sua perna, não eram as melhores lembranças da sua vida.

 

Há inovações que nos dão agilidade com um toque de sofisticação: basta aceitá-las e enxergar novas possibilidades.

 

NAMORO EM MODO ESPERA

 

Enquanto ele armava mais um negócio, Marina iria arrumar o que fazer. Ele não teria hora para voltar. O tão esperado jantar a sós para comemorar mais um ano de namoro acabara de entrar no modo de espera.

 

No começo quando isso acontecia, ela ficava brava. Mas pouco a pouco foi entendendo essa rotina zero Grau e enxergando que para ele não havia outra maneira – os negócios estavam pipocando por todos os lados. Como dizer não?

 

Hoje ela até se divertia com essa falta de mesmice que sua vida tão previsível de funcionária pública se tornara, desde que o conheceu.

 

Ela aproveitou para ir até o shopping mais próximo comprar umas coisas e tornar a noite mais incrível..

 

UMA NOVA OPORTUNIDADE

Otto se despediu do Sr. Heckert depois de agendar uma visita a algumas empresas em Zurich.

As coisas estavam indo de vento em popa.

A caminho da saída, entrou na livraria do Aeroporto e procurou por um livro que um amigo havia indicado.

O final de semana estava chegando e precisava retomar seu hábito de leitura.

 

Quando estava no caixa, alguém bateu no seu ombro. Era Lili da grife Divina Cadência.

-Que bom encontrá-lo aqui! Disse ela animada.

Era a oportunidade de levantar mais um negócio.

Lili voltava de uma visita ao mercado do Nordeste e por coincidência pensava nele naquele exato momento.

Precisava de sua ajuda para renovar seu parque produtivo.

Sabia que ele era a pessoa certa para tratar de TI na automação industrial.

Ele teria disponibilidade na agenda para uma reunião segunda-feira logo cedo?

-Se fosse às 8h em ponto, estava marcado.

Confirmaram o encontro no bairro preferido de Lili em São Paulo. Ela viu no aplicativo um novo lugar para conhecer – adorava experimentar novos ambientes para trabalhar!

-Estou curiosa para conhecer o Café Pina Luz, me disseram que tem um bolo irresistível- sorriu.

-Vou ficar só com o café e o wi-fi mesmo, obrigada – brincou ele.

Despediu-se pensando: – Se mais alguém me parar aqui hoje, acho que volto para Okinawa. Sorriu. No fundo era disso que ele gostava.

 

Enquanto se dirigia ao ponto de táxi, pensava que agora precisava desacelerar. Marina merecia uma noite só dela, depois de tanta espera.

 

DA ROTINA ZERO GRAU AOS BRAÇOS DE MARINA

 

Voltar para casa fazia parte da aventura . Ele tinha tanto o que contar e ela se encantava com as suas façanhas!

Se não fosse o encontro inesperado com o Sr. Heckert e Lili, seria qualquer outra coisa para tornar a espera desse encontro ainda mais excitante.

Graças à tecnologia que aproxima as pessoas, que busca lugares e acelera os objetivos, ele havia resolvido tudo o que precisava.

Agora só tinha que soltar suas amarras e cair nos braços de Marina.

Deixaria que ela tomasse conta dali em diante.

O vinho já estava na geladeira e a tábua de queijos e pães providenciada.

Um leve cheiro de incenso de rosas no ar.

Ela se banhou e vestiu seu kimono florido.

Em breve, ele iria voltar para casa e enfim desligaria o celular: a sós, afinal!

E a noite apenas estava começando.

E a noite apenas estava começando.

 

Texto: Amália Maldonado

Revisão: Fernanda Mourão

 

¹ Nota da redatora: No texto, o termo “ Zero Grau” é uma metáfora e pretende significar a ausência de rotina no nível extremo, o mais próximo do valor zero possível para um comportamento.

Na ciência significaria aplicar a um valor o seu maior desvio possível da média, antes de chegar a um valor negativo.

Bibliografia:

La Métaphore Vive -Paul Ricoeur (tradução: A metáfora viva – Dior Davi Macedo – Ed. Loyola.

https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-e-zero-absoluto/

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *